Transgênicos devem representar 98,3% da área de soja em MS - Rio Brilhante News - Notícias de Rio Brilhante MS e Região

22º min
32º max

  • Coberturas31


Rio Brilhante - MS, sexta-feira, 23 de junho de 2017

Transgênicos devem representar 98,3% da área de soja em MS

MS deve cultivar 2,42 milhões de hectares com soja transgênica. Incremento de área em relação a safra passada será de 3,86%.

Publicado em: 29/08/2016 às 09h32

- G1 MS

MS deve cultivar 2,41 milhões de hectares com soja transgênica na próxima safra, segundo consultoria (Foto: Reprodução/TV Morena)

Na safra 2016/2017 de soja que deve começar a ser cultivada a partir da segunda quinzena de setembro, quando termina o período do vazio sanitário em Mato Grosso do Sul, o estado deve ter uma área semeada com transgênicos de 2,41 milhões de hectares, o que deve representar 98,3% do total plantado com a cultura neste temporada.

 

A área cultivada nesta safra deve crescer 3,86% perante a anterior, 2015/2016, quando foram plantados 2,33 milhões de hectares. Já o aumento do percentual dedicado ao plantio de soja transgênica na comparação do ciclo passado, quanto atingiu 97,7% do total, para o novo, deve ser de 0,61%.

 

A estimativa é do primeiro acompanhamento da adoção de biotecnologia agrícola no Brasil, safra 2016/2017, divulgado pela consultoria Céleres. A empresa aponta que o índice alcançado no estado já é, inclusive, superior ao percentual médio do país para o próximo ciclo, que deve ser de 96,5%, o que representa em âmbito nacional, 32,7 milhões de hectares.

 

A consultoria destaca ainda que apesar do país ter apenas uma tecnologia de soja aprovada que tem  genes combinados, sendo ao mesmo tempo resistente a insetos e a herbicidas (conhecida como tecnologia do tipo stack), esse tipo de semente já é o mais cultivado pelos agricultores brasileiros, atingindo somente na próxima safra, cerca de 20,3 milhões de hectares.

 

A empresa destaca que o uso deste tipo de tecnologia geneticamente modificada está se difundindo cada vez mais entre os sojicultores brasileiros devido a uma série de benefícios econômicos e melhoria no manejo das lavouras.