Literatura é retirada da grade estadual e profissionais se levantam contra medida - Rio Brilhante News - Notícias de Rio Brilhante MS e Região

22º min
32º max

  • Coberturas31


Rio Brilhante - MS, segunda-feira, 29 de maio de 2017

Literatura é retirada da grade estadual e profissionais se levantam contra medida

Publicado em: 08/02/2017 às 07h41


Escolas estaduais como o Presidente Vargas de Dourados devem retirar Literatura da grade curricular- Foto: Gizele Almeida

A Secretaria de Estado de Educação de Mato Grosso do Sul retirou a disciplina de Literatura da grade curricular das escolas do Ensino Médio e a medida tem gerado polêmica. Os profissionais da educação tem se posicionado contrários ao novo formato das aulas, que faz parte da reforma do ensino médio exibida pelo Governo Federal.

Conforme divulgado no Diário Oficial do Estado do dia 02 de fevereiro, as duas horas/aulas antes designadas para a disciplina serão preenchidas com uma hora a mais para Língua Portuguesa e uma hora para Matemática.

Com isso, as duas disciplinas que eram ministradas três vezes por semana, passarão para quatro vezes.

Para Eliza Romero, diretora do Simted (Sindicato Municipal dos Trabalhadores de Educação de Dourados) a contestação da categoria é em especial diante de como a mudança foi colocada, com a afirmação de que os profissionais não puderam se posicionar.

"Fomos pegos de surpresa quanto a mudança, foi retirada a matéria sem nenhuma discussão com os profissionais de uma forma totalmente arbitrária, isso não pode ocorrer", cita.

Ela cita que os professores que atuavam na disciplina se sentem desprestigiados diante da medida.

Conforme a diretora, houve a sinalização da coordenadoria regional de educação de que os profissionais seriam remanejados de acordo com a demanda e atuariam com a ministração de temas literários no espaço que foi cedido a Língua Portuguesa, mas, há o questionamento quanto a divergência das matérias.

"A situação é crítica, esses professores se sentem prejudicados e sem valorização as suas formações. Foi colocado que haveria um levantamento e que os professores excedentes seriam encaminhados para as aulas de Português, no entanto, o ensino das disciplinas acontece de forma diferente, é preciso que a questão seja revista", disse.

Conhecimento do aluno

Sem a ministração dos temas literários, a profissional afirma que os alunos não contarão com o conhecimento necessário para futuras seleções e nem com motivação a leitura.

"Os jovens não estarão prontos para os vestibulares e outros exames, já que essa disciplina é fundamental. Outro ponto é a falta de incentivo para que leiam e agreguem conhecimento, o que é muito específico da literatura e vinha sendo trabalhado bastante no contexto regional", disse.

Educadores se unem por revisão da medida

Ontem, os coordenadores da Fetems (Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul) se reúnem durante a tarde na capital para debater o tema.

Também na terça-feira (07), na Fadir (Faculdade de Direito e Relações Internacionais da UFGD) educadores em reunião traçaram ações para cobrar a reintegração da matéria na grade curricular.

Ainda conforme Eliza, a categoria pode realizar medidas nos próximos dias como manifestações pela causa.

Sem respostas da SED

O Dourados News procurou a Secretaria Estadual de Educação –SED- para um posicionamento referente a retirada da matéria da grade curricular, no entanto, até o fechamento desta reportagem, não houve retorno.

 

Por: Dourados News