• Assembléia Legislativa - Oficial1

Campo-grandense é condenado a 15 anos de prisão por terrorismo - Rio Brilhante News - Notícias de Rio Brilhante MS e Região

22º min
32º max

  • Coberturas31


Rio Brilhante - MS, sábado, 21 de outubro de 2017

Campo-grandense é condenado a 15 anos de prisão por terrorismo

'Um dos cabeças', Leonid foi preso em 2016, no MT

Publicado em: 05/05/2017 às 07h20


A Justiça Federal condenou, na tarde desta quinta-feira (4), oito réus da Operação Hashtag, entre eles, o campo-grandense Leonid El Kadre de Melo, que não poderá recorrer da sentença em liberdade, por já estar preso. Todos foram condenados com base na lei antiterrorismo.

Segundo o Ministério Público Federal, os denunciados se dedicaram a promover a organização terrorista denominada Estado Islâmico, e, Leonid preso em julho de 2016, no município de Comodoro, no Mato Grosso, a 656 quilômetros de Cuiabá, seria um dos líderes.

As primeiras investigações começaram em julho de 2016, quando faltavam duas semanas para as Olimpíadas do Rio de Janeiro. Operação Hashtag realizou quatro fases, até o momento, e chegou a prender 15 pessoas. A sentença saiu quase oito meses após a denúncia ser aceita pela Justiça Federal.

Um dos mais importantes

Leonid El Kadre de Melo também foi condenado, conforme descrito na lei, por realizar atos preparatórios de terrorismo com o propósito inequívoco de consumar tal delito. De acordo com o juiz federal Marcos Josegrei da Silva, ele é a pessoa de maior importância no grupo. “Trata­se, sem sombra de dúvidas, do indivíduo que assumiu a posição de líder máximo dentre os demais denunciados".

Com exceção de Fernando, além dos crimes previstos na lei antiterrorismo, todos também foram condenados pelo crime de organização criminosa.

Segundo Josegrei, Leonid El Kadre de Melo, Alisson Luan de Oliveira, Luis Gustavo de Oliveira e Fernando Pinheiro Cabral não poderão recorrer da sentença em liberdade. Eles já estão presos, conforme o juiz. Os demais estão em liberdade mediante medidas alternativas.

Ao Portal G1, do Paraná a advogada Zaine Alcadre, que defende Leonid El Kadre de Melo, afirmou que vai recorrer da senteça. Segundo ela, o Leonid está em greve de fome há 36 dias pelas injustiças cometidas contra ele. Alcadre afirmou ainda que não tem medo da condenação, mas teme pela vida do cliente. Ele criticou o fato de não ter acesso aos relatório médicos do cliente.

A advogada disse que esperava que o juiz fosse mais humano, possibilitando que o cliente pudesse responder em liberdade. Zaine Alcadre afirmou ainda que o juiz condenou Leonid El Kadre de Melo sem o encerramento do inquérito.

A Defensoria Pública da União, que é responsável pela defesa dos outros condenados, disse que vai recorrer da decisão.

Absolvições

 

Hernandes de Jesus, Israel Pedra Mesquita, Hortencio Yoshitake e Alisson Luan de Oliveira foram absolvidos dos crimes de corromper ou facilitar a corrupção de menor de 18 anos, com ele praticando infração penal ou induzindo-o a praticá-la. A infração está prevista no Estatuto da Criança e do Adolescente.

 

Condenações

Leonid El Kadre de Melo (campo-grandenses) - 15 anos de reclusão, sendo 13 anos em regime inicial fechado;

Alisson Luan De Oliveira - 6 anos de reclusão, sendo cinco em regime inicial fechado;

Oziris Moris Lundi dos Santos Azevedo - 6 anos de reclusão, sendo cinco em regime inicial fechado;

Levi Ribeiro Fernandes De Jesus - 6 anos de reclusão, sendo cinco em regime inicial fechado

Israel Pedra Mesquita - 6 anos de reclusão, sendo cinco em regime inicial fechado;

Hortencio Yoshitake - 6 anos de reclusão, sendo cinco em regime inicial fechado;

Luis Gustavo de Oliveira - 6 anos de reclusão, sendo cinco em regime inicial fechado;

Fernando Pinheiro Cabral – 5 anos de reclusão em regime inicial fechado.

 

Por: Mídia Max