Azambuja dá cargo com salário de R$ 8,3 mil na Segov a ex-BBB, dono de boate e duas fazendas - Rio Brilhante News - Notícias de Rio Brilhante MS e Região

22º min
32º max

  • Coberturas31


Rio Brilhante - MS, domingo, 17 de dezembro de 2017

Azambuja dá cargo com salário de R$ 8,3 mil na Segov a ex-BBB, dono de boate e duas fazendas

Publicado em: 30/11/2017 às 09h54


O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) nomeou o médico veterinário Rafael Alves Cordeiro, 31 anos, mais conhecido com ex-BBB Fael, na Segov (Secretaria Estadual de Governo e Gestão Estratégica). O cargo no escritório regional em Dourados é uma reviravolta na vida do peão, que planejava não voltar à política após perder a eleição para deputado estadual em 2014 e temia jogar a reputação na lama.

Natural de Aral Moreira, Fael ganhou R$ 1,5 milhão ao vencer o programa Big Brother Brasil em 2012. Milionário e famoso, ele comprou duas fazendas. O peão é dono da Colt Pub, uma das principais boates de Dourados, segunda maior cidade de Mato Grosso do Sul.

A celebridade instantânea fez o campeão do BBB 12 ser recebido pelo então governador André Puccinelli (PMDB) e pelo prefeito de Campo Grande, Nelsinho Trad (PTB). Paparicado por políticos e com a mãe vereadora em Aral Moreira, ele decidiu tentar a carreira política em 2014.

Candidato a deputado estadual pelo PSB, Fael declarou patrimônio de R$ 1,491 milhão, sendo que a maior parte, R$ 1,326 milhão, era de aplicações do dinheiro do prêmio.

Os 15 minutos de fama não garantiram a eleição do peão, que ficou com 13.726 votos e ficou como suplente da coligação.

Frustrado com a derrota, ele disse, em entrevista ao site Ego, que não pretendia concorrer novamente a um cargo eletivo. “Não quero mais, todo mundo é taxado como ladrão e corrupto”, argumentou.

“Não quero isso para mim, sabe, sou bom pagador, honesto, tenho crédito na praça, pago bem meus funcionários. Não quero jogar minha reputação na lama”, disse, em entrevista ao site de fofocas.

No entanto, parece que o ex-BBB mudou de ideia e decidiu aproveitar uma “boquinha” na Secretaria de Governo. É o mesmo cargo destinado aos prefeitos derrotados nas urnas, que garante um bom salário, não exige o cumprimento de horário e ainda ganha o status de coordenador político do governador na região.

Fael foi nomeado para o cargo de direção e assessoramento no Escritório Regional de Dourados. O salário para o DGA-1 pode ficar em torno de R$ 8,3 mil, dependendo da gratificação, que pode chegar a 60%>

O governador assinou o decreto no dia 14 de novembro, mas só o publicou no Diário Oficial de ontem, coincidentemente, após a aprovação da reforma da previdência.

 

Por: O Jacaré




  • Objetivo32
  • Colégio Objetivo4