Itaporã fecha exercício 2017 com R$ 3,0 milhões a menos que 2016 - Rio Brilhante News - Notícias de Rio Brilhante MS e Região

22º min
32º max

  • Coberturas31


Rio Brilhante - MS, sexta-feira, 17 de agosto de 2018

Itaporã fecha exercício 2017 com R$ 3,0 milhões a menos que 2016

Publicado em: 18/01/2018 às 09h56


Ao tomar conhecimento do fechamento do balanço do exercício 2017, o prefeito Marcos Pacco avalia o seu primeiro ano de administração como um grande desafio, porém, positivo diante do déficit de R$3,0 milhões de reais em relação a 2016.

Mesmo com essa diferença o prefeito cumpriu com as obrigações patronais mantendo em dia os salários, serviços básicos da administração, sobretudo, renegociando dividas importantes como ITAPREV, fornecedores e empreiteiros.

O planejamento da administração precisou ser revisto em várias ocasiões, uma vez que, mês a mês em meio a significantes quedas de repasses, o orçamento passou a ser reajustado. 

Com a readequação de gastos, o ano de 2017 foi marcado por cortes que envolveram desde a diminuição de secretarias, servidores contratados e a não realização de vários eventos culturais e de lazer.

Outra importante decisão tomada pelo executivo foi a revogação do projeto de lei complementar que dispunha sobre a alteração do PCCR (Plano de Cargos, Carreiras e Remuneração) dos servidores efetivos da prefeitura de Itaporã. Com esta a decisão o prefeito irá readequar essa lei que da forma como estava sem estudo de impacto financeiro, se tornava impossível o pagamento da educação. 

Vale ressaltar os avanços na educação, tendo como ponto principal a inauguração da Creche Milton Menani na Grande COHAB. Neste setor o executivo fechou 2017 com investimento de 28% da receita corrente líquida, quando o estabelecido por lei é de 25%. No setor de saúde o desafio do executivo foi sanar as dividas com a folha de pagamento dos médicos e uma parte dos funcionários que não receberam seus salários no fechamento de 2016. A soma desta conta herdada da administração 2016 somava mais de R$ 200,0 mil reais, exigindo muita habilidade de gestão para ser paga.

Ao final do exercício 2017, a soma dos gastos com a saúde chegou ao percentual de 30.33% da receita corrente liquida do município, quando o mínimo obrigatório por lei é de 15%. Com esta iniciativa, muitos problemas como falta de medicamento na atenção básica, material hospitalar dentre outros, foram significativamente melhorados, inclusive, a inserção de novos serviços nos postos de saúde, como serviços odontológicos que não existiam na rede. 

Mesmo com a queda de arrecadação, uma ampla frente de trabalho aos poucos foram mudando o aspecto urbano do município, que ganhou recuperação da praça central, troca de lâmpadas, operação tapa buraco na sede e nos distritos, onde foram implantadas mais 2,500 toneladas de massa asfáltica. Lembrando que tiveram ruas no centro e nos distrito que quase em sua totalidade tiveram que ser refeitas. Outro fator importante foi o trabalho voluntario da primeira dama Lurdinha, que efetuou um belíssimo trabalho de revitalização dos canteiros centrais da cidade. 

Um dos fatores que dificultaram o inicio dos serviços de manutenção e recuperação na infraestrutura, foi o péssimo estado de conservação e manutenção de diversas maquinas e caminhões do parque rodoviário do município. Pouco a pouco foram recuperados os equipamentos de primeira necessidade, restando ainda outras máquinas que serão recuperadas em 2018.

Em todos os momentos quando houve a necessidade de se fazer uma contenção de gastos, a câmara de vereadores sempre se colocou a disposição do executivo entendo o momento em que o município enfrenta. O prefeito Marcos Pacco reitera os agradecimentos a todos os servidores que entenderam estes procedimentos, que ao  final do ano  obteve êxito, pois, todos receberam os salários em dia, e o mês de dezembro e o décimo terceiro salario ao contrario de muitos municípios da região, saiu de forma antecipada.




  • Colégio Objetivo4
  • Objetivo32