Prefeito Donato deixa servidores com zero % de reajuste salarial referente a 2017 - Rio Brilhante News - Notícias de Rio Brilhante MS e Região

22º min
32º max

  • Coberturas31


Rio Brilhante - MS, terça-feira, 16 de outubro de 2018

Prefeito Donato deixa servidores com zero % de reajuste salarial referente a 2017

Publicado em: 02/02/2018 às 09h51

Da Redação

O Prefeito Donato Lopes da Silva deu reajuste salarial ZERO %  para os servidores administrativos da Prefeitura de Rio Brilhante referente ao ano 2017, causando revolta entre os servidores, que culpam a subserviência política e a amizade muito próxima da Presidente do SINFUSP  com o Prefeito e seu grupo político como responsáveis pelo resultado desastroso para os servidores que vão amargar um ano sem reajuste salarial.

DONATO DEU 2,5% DE PERDAS SALARIAIS DEIXADAS POR ELE MESMO, ACUMULADAS EM MANDATOS ANTERIORES

Através do decreto 25.605, de 17/01/2018, Donato concedeu a título de reajuste (palavra enganosa no decreto), apenas 2,5%, porém, os servidores mais estudados logo entenderam a jogada para prejudicar os servidores, pois esse percentual de 2,5% vem de perdas salariais acumuladas até dezembro de 2012, referentes aos mandatos anteriores de Donato.

Em 2013, o ex-prefeito FORONI firmou um acordo coletivo com o SINFUSP reconhecendo as perdas salariais acumuladas até dezembro de 2012 em 10%, e assinou um documento reconhecendo esse direito aos servidores.

Diante do início de mandato, no mesmo documento ficou pactuado que esses 10% seriam pagos em 4 parcelas anuais de 2,5%, oque ocorre em 2013, 2014 e 215.

Com dificuldades financeiras do Município, em 2016 foi celebrado novo acordo coletivo com o SINFUSP, onde o ex-prefeito FORONI concedeu o IGPM E transferiu os 2,5% de perdas salariais para janeiro de 2017.

Em 2017 o prefeito Donato Lopes não cumpriu o acordo coletivo e não pagou os 2,5% de perdas salariais que são de suas gestões anteriores a 2013.

Agora, em janeiro de 2018, Donato pagou ao servidor publico Riobrilhantense, apenas as perdas salariais de 2,5%, que é parte das perdas deixadas por ele mesmo em dezembro de 2012, e não deu qualquer aumento ou reajuste salarial aos nossos servidores públicos, e o SINFUSP concordou plenamente e contribuiu para que isso acontecesse

Além disso, um servidor efetivo afirma que "o Decreto 25.620/2018 é extremamente maléfico e prejudicial para os servidores, pois o mesmo fala em "reajuste", quando na realidade deveria constar "reposição das perdas salariais", e isto poderá ter reflexos futuros negativos quando se for efetuar novos estudos sobre as perdas sofridas."




  • Colégio Objetivo4
  • Objetivo32