O Corinthians derrotou o Palmeiras, na cobrança de pênaltis, neste domingo, dia 08 de abril, no Allianz Parque, e se sagrou campeão paulista de 2018. Após vitória corintiana por 1 a 0 no tempo normal, a equipe alvinegra bateu o time alviverde nas penalidades por 4 a 3.

Depois de perder a primeira partida da final, em casa, por 1 a 0, o time comandado por Fábio Carille derrotou o Palmeiras, com gol de Rodriguinho, no primeiro minuto do jogo, e garantiu seu 29º título estadual nas penalidades.

Com o resultado, a equipe alvinegra é bicampeão paulista sob comando do treinador Fábio Carille, que estreiou no cargo em 2017, vencendo o título estadual em cima da Ponte Preta.

O Jogo

Em um início de jogo elétrico, Mateus Vital puxou o ataque alvinegro na primeira ofensiva do Corinthians na partida, chegou à linha de de fundo e achou Rodriguinho livre no meio da área. O meia, que já havia sido o herói do time na semifinal contra o São Paulo, pegou de primeira para abrir o placar. A bola ainda desviou em Victor Luis, tirando Jaílson da jogada.

Com o gol, a vantagem que o Palmeiras havia construído na partida de ida foi neutralizada e o time de Roger Machado foi obrigado a assumir uma postura mais ofensiva, a fim de retomar a vantagem no placar agregado.

Logo aos cinco minutos, os mandantes balançaram as redes mas o lance foi invalidado. Após cobrança de falta, Thiago Martins escorou de cabeça. A bola sobrou para Willian, que, em posição ilegal, empurrou para as redes.

O time alviverde seguiu pressionando e teve mais dois bons lances ainda no início da partida. Aos 9 minutos, em cabeçada perigosa de Borja que passou rente ao gol e aos 12, em chute de fora da área de Willian.

Após início intenso, a partida tomou um rumo mais truncado após os 20 minutos, com menos bola rolando e chances de gol. Antes do intervalo, o Palmeiras ainda conseguiu chegar com perigo mais uma vez, aos 33, em chute de Marcos Rocha, após bela enfiada de bola de Dudu.

Com o Palmeiras pressionando em busca do gol de empate, o Corinthians se fechou na segunda etapa e permitiu que a equipe alviverde ficasse com a bola. O primeiro lance de perigo aconteceu aos 11 minutos, em chute de Bruno Henrique na entrada da área, que passou por cima do gol de Cássio.

Sem espaço para atacar, porém, os mandantes pouco criaram ao longo da segunda etapa, muito devido a boa marcação corintiana.

A final voltou a esquentar aos 26 minutos, quando o árbitro Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza marcou pênalti após carrinho de Ralf em Dudu. O lance, porém, não foi faltoso e acabou motivando uma discussão generalizada. Após oito minutos de confusão com os jogadores e reuniões com o grupo de árbitragem, Marcelo voltou a trás em sua decisão e assinalou somente escanteio para a equipe alviverde.

O jogo foi reiniciado aos 34 minutos, com direito a mais pressão do Palmeiras. Aos 45, Marcos Rocha cobrou falta na entrada da área que passou, com perigo, a direita de Cássio. Aos 48, na base do sufoco, Keno, que substituiu Willian no intervalo, fez grande jogada dentro a área e cruzou para Thiago Santos, que perdeu o gol de baixo da trave.

Antes do término da partida, ainda deu tempo para Sidcley arrancar pelo lado esquerdo do ataque do Palmeiras, aos 52 minutos, e quase marcar um belo gol após chute cruzado.

Pênaltis

Nas cobranças, a estrela do goleiro Cássio brilhou. O corintiano pegou duas cobranças, de Dudu e Lucas Lima, e protagonizou o triunfo alvinegro. Danilo, Romero, Lucca e Maycon converteram para garantir o título ao Corinthians.