Grupo de teatro do Maranhão promove espetáculo gratuito em Dourados - Rio Brilhante News - Notícias de Rio Brilhante MS e Região

22º min
32º max

  • Coberturas31


Rio Brilhante - MS, segunda-feira, 17 de dezembro de 2018

Grupo de teatro do Maranhão promove espetáculo gratuito em Dourados

Além da apresentação, das 14h às 18h, acontece uma oficina para atores e alunos de teatro

Publicado em: 25/04/2018 às 10h59


Com o objetivo de promover a cultura, a Pequena Companhia de Teatro São Luís (MA), está promovendo até sábado (28), no Teatro Municipal de Dourados, o espetáculo ‘Velhos caem do céu como canivetes’, que aborda a dificuldade humana em lidar com as diferenças, utilizando em seu escopo, temas como miséria, exílio e fé. 

O ponto de partida para essa dramaturgia é o conto de Gabriel García Márquez, “Um Señor muy Viejo com Alas Enormes”. A narrativa apresenta duas personagens em permanente exercício dialético.

Um ser alado que cai no quintal de um ser humano. É a partir dessa premissa que a narrativa se desenvolve. O ser humano, um catador de lixo que tenta sobreviver à miséria que assola sua família, vê sua rotina mudar com a queda de um ser alado em seu quintal. 

O espanto inicial dá lugar à necessidade de identificar o estranho ser, gerando um permanente questionamento quanto à definição do ser alado. Seria um anjo? Um frango? Um delírio provocado pela fome? É nessa teia que o espectador é convidado a se equilibrar, enquanto os dois seres se digladiam em um intenso confronto dialético. 

O exílio forçoso de um, e a miséria do outro, pontuam a trama, que apresenta um cenário pós-apocalíptico permeado de desesperança. Um ser alado e um ser humano, no abismo de suas percepções, preconceitos, medos e dúvidas.

Além da a apresentação, acontece das 14h às 18h, também no Teatro de Dourados, a oficina desenvolvida pela companhia denominado ‘Quadro de Antagônicos’, que é o treinamento que indica os caminhos da dramaturgia e encenação, partindo da oposição física como fundamento para o desenvolvimento do repertório gestual do ator e a construção final das personagens. 

“Nós compreendemos o teatro como a arte do ator. Assim, a encenação aqui proposta desenvolve seu trabalho tendo o ator como centro gerador de linguagem”, diz o diretor Marcelo Flecha.

Sobre 

O espetáculo vai até sábado (28), no Teatro Municipal de Dourados, na Avenida Presidente Vargas – Parque dos Ipês, com entrada franca, classificação livre, mas recomendação de 12 anos.