Morte de Cristiano Araújo e Allana Moraes completa 3 anos - Rio Brilhante News - Notícias de Rio Brilhante MS e Região

22º min
32º max

  • Coberturas31


Rio Brilhante - MS, domingo, 18 de novembro de 2018

Morte de Cristiano Araújo e Allana Moraes completa 3 anos

Publicado em: 25/06/2018 às 06h58

Bebeto Ribeiro

Artista era reconhecido por características como o amor à família, paixão por futebol e bom humor. Casal não resistiu aos ferimentos de acidente em Morrinhos, na volta de show.

Ao menos três características ficam evidenciadas nas referências ao sertanejo Cristiano Araújo, morto há exatos três anos junto com a namorada, Allana Moraes, após um acidente de carro em Morrinhos (GO): amor à família, paixão por futebol e bom humor.

Diversas postagens nas redes sociais do artista, de então 29 anos, confirmam a devoção que ele tinha pelos filhos, o apreço pelo Vila Nova e pelo Corinthians e o quanto apreciava viver de uma forma mais leve. Além disso, reforçam sua própria percepção de ser um “cantor por natureza”.

Para os fãs e amigos, ele ficou imortalizado no verso “o que temos para hoje é saudade”, do hit lançado em 2014, “Cê que sabe”. As lembranças são permeadas por referências a um cantor brincalhão, que postava vídeos com caretas e imitações de amigos em redes sociais e se divertia com demonstrações de fãs.

No dia do acidente, o nome de Cristiano Araújo ficou em 1º lugar como trending topic (tendência global) da rede social Twitter em todo o mundo, com quase 60 mil citações por hora. Um ano depois, ele era o artista mais tocado nas rádios do país. A página dele no Facebook tem atualmente 9,2 milhões de seguidores.

O artista morreu no auge da carreira, pouco depois de ganhar palcos internacionais, deixando um CD com músicas inéditas em produção. Na época, namorava havia 1 ano e 2 meses e sempre demonstrava estar apaixonado. Ele deixou dois filhos – João Gabriel, de 7 anos, e Bernardo, de 2, na época, frutos de relacionamentos anteriores.

Infância musical

Cristiano Melo Araújo nasceu em 24 de janeiro de 1986 na cidade de Goiás e tinha música correndo nas veias. As influências iam muito além do fato de ele ter nascido no mesmo estado que foi berço para Leandro e Leonardo, Zezé Di Camargo e Luciano e Jorge e Mateus – o artista representava a quarta geração de músicos da família.

Cristiano ganhou o primeiro violão aos 6 anos e, aos 9, já fazia apresentações em público, em festas e pequenos festivais em shoppings Ele participou de vários concursos, sem despertar muito interesse de empresários e produtores.

Com o passar do tempo, o artista começou a tocar em bares. O público não era grande, e às vezes o dinheiro não dava nem para o lanche.

“Eu pagava R$ 100 para cada um dos quatro músicos, aí sobrava R$ 100 para mim, R$ 100 para o segunda voz”, lembrou Cristiano durante os bastidores de um show.

O primeiro CD e duplas sertanejas

O primeiro CD de Cristiano Araújo foi gravado quando ele tinha 13 anos e contava com cinco músicas. Ainda adolescente, começou a trilhar seu caminho no mercado do sertanejo, fazendo shows em campanhas políticas e se apresentando em programas de televisão.

Ele ficou em carreira solo até os 17 anos. Sem decolar sozinho e determinado a alcançar o sucesso, decidiu apostar em cantar com um parceiro, como acontecia com a maioria dos artistas do mesmo estilo.

Foram três tentativas de duplas, mas nenhuma avançou. O jeito foi retornar à carreira solo, em 2010.




  • Objetivo32