Polícia Civil abre inquérito e investiga troca de tiros com policial federal - Rio Brilhante News - Notícias de Rio Brilhante MS e Região

22º min
32º max

  • Coberturas31


Rio Brilhante - MS, segunda-feira, 24 de setembro de 2018

Polícia Civil abre inquérito e investiga troca de tiros com policial federal

Em nota oficial, Polícia Civil de MS diz que Polícia Federal está colaborando com a investigação, mas não deu detalhes do caso

Publicado em: 29/06/2018 às 06h39

Campo Grande News

A Polícia Civil de Mato Grosso do Sul informou que já está investigando a troca de tiros entre dois investigadores da corporação e um agente da Polícia Federal, ocorrida na madrugada desta quinta-feira (28) em Ponta Porã, cidade a 323 km de Campo Grande. O confronto aconteceu em frente à Boate Samara, a poucos metros do território paraguaio.

Em nota encaminhada pela assessoria de imprensa, a Polícia Civil informou que a troca de tiros ocorreu por volta de 1h da madrugada. Os três policiais envolvidos foram encaminhados para um hospital local, onde receberam atendimento médico-hospitalar. Ninguém corre risco de morte, segundo a Polícia Civil.

“A investigação criminal formal (oitivas, perícias, etc.) está a cargo da Polícia Civil e já esta sendo feita o primeiro momento, sendo que a Polícia Federal também está ajudando com todo o suporte necessário. A Polícia Civil lamenta o ocorrido e afirma que os fatos serão apurados com imparcialidade e profissionalismo, no âmbito das duas instituições, tanto no âmbito criminal, como no âmbito disciplinar”, diz a nota.

Os três policiais estão internados no Hospital Regional de Ponta Porã. Os policiais civis foram identificados como Jonathan dos Santos e Jeferson Duarte, os dois feridos a tiros na barriga. O caso de Jonathan é mais grave e ele teve de passar por cirurgia.

Já o policial federal foi identificado como Alexandre Muniz Dahoui, que teria sido atingido na perna. Ele está sob guarda da Polícia Federal. Outro agente federal também estava no local, mas não ficou ferido.

Ao site MS em Foco, o delegado regional da Polícia Civil em Ponta Porã Clemir Vinicius Júnior considerou o episódio “lamentável” e disse acreditar que a falta de identificação entre os policiais possa ter gerado o conflito.

“Ainda estamos apurando o que aconteceu e todas as testemunhas estão na delegacia dando depoimento. Assim que tiveram condições os envolvidos também darão suas versões no fato”, afirmou.




  • Colégio Objetivo4
  • Objetivo32