Consignado com FGTS pode ajudar 484 mil trabalhadores em MS - Rio Brilhante News - Notícias de Rio Brilhante MS e Região

22º min
32º max

  • Coberturas31


Rio Brilhante - MS, segunda-feira, 17 de dezembro de 2018

Consignado com FGTS pode ajudar 484 mil trabalhadores em MS

Caixa oferece nova modalidade em todo o País

Publicado em: 26/09/2018 às 16h22

Correio do Estado

Pelo menos 484 mil trabalhadores com carteira assinada em Mato Grosso do Sul poderão tentar o empréstimo consignado com uso do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) como garantia. A medida entrou em vigor, nesta terça-feira (25), como uma nova opção de crédito para o trabalhador privado. Por enquanto, apenas a Caixa Econômica Federal oferece a linha de crédito, segundo informou o Ministério do Trabalho.

De acordo com a pasta, a nova linha de crédito estará disponível para 36,9 milhões de trabalhadores com carteira assinada no País. Os juros não poderão ultrapassar 3,5% ao mês, porcentual até 50% menor do que o de outras operações de crédito disponíveis no mercado, informou o ministério. O prazo de pagamento será de até 48 meses (quatro anos). Os empréstimos poderão ser pedidos em qualquer agência da Caixa.

CONDIÇÕES - O uso do FGTS como garantia para o crédito consignado proporciona juros mais baixos para os tomadores porque os recursos da conta do trabalhador no fundo cobrirão eventuais calotes, o que reduz o risco para os bancos e permite à Caixa oferecer empréstimos com taxas menores.

Segundo o ministério, os valores emprestados dependerão do quanto os trabalhadores têm depositado na conta vinculada do FGTS. Pelas regras, eles podem dar como garantia até 10% do saldo da conta e a totalidade da multa em caso de demissão sem justa causa, valores que podem ser retidos pelo banco no momento em que o trabalhador perder o vínculo com a empresa em que estava quando fez o empréstimo consignado.

Desde 2016, a Lei 13.313 previa o uso de parte do saldo do FGTS como garantia nas operações de crédito consignado. A modalidade, no entanto, não deslanchou, porque a falta de regulamentação não trazia segurança para os bancos.

As instituições financeiras só eram informadas do saldo do fundo de garantia do trabalhador no caso de um eventual desligamento da empresa. A possibilidade de que o funcionário, durante a vigência do crédito consignado, sacasse parte do FGTS para comprar um imóvel reduziria a quantia que poderia servir de garantia.

Para dar maior garantia aos bancos, no mês passado, foi feita uma nova regulamentação da modalidade de crédito e a Caixa criou um sistema que permite realizar a reserva de valores da conta do FGTS como garantia ao contrato consignado.

“A Caixa informa que disponibilizou aos bancos um sistema que permite o envio e recebimento de informações sobre os créditos consignados, no intuito de realizar a reserva de valores da conta vinculada do fundo para garantia ao contrato consignado. O sistema já se encontra disponível para que toda instituição financeira que tenha interesse em operar possa encaminhar e receber informações sobre crédito consignado. Vários bancos estão se preparando para operar com o produto”, anunciou a instituição financeira, em nota, em agosto.

O valor reservado como garantia do empréstimo permanecerá na conta do FGTS do trabalhador, rendendo normalmente, até a quitação do empréstimo. A garantia será usada caso o empregado seja demitido sem justa causa e o banco não tenha mais como descontar as parcelas do crédito consignado do salário.

Além da Caixa, outros bancos poderão disponibilizar a nova linha de crédito. “Basta seguirem as regras estabelecidas em lei”, informou o Ministério do Trabalho. (Com informações da Agência Brasil)