Jovem foi jogado ainda vivo dentro de poço e crime ocorreu por ciúme - Rio Brilhante News - Notícias de Rio Brilhante MS e Região

22º min
32º max

  • Coberturas31


Rio Brilhante - MS, sexta-feira, 15 de novembro de 2019

Jovem foi jogado ainda vivo dentro de poço e crime ocorreu por ciúme

Publicado em: 14/06/2019 às 10h02

Dourados News

Um adolescente de 16 anos foi apreendido e Maycon Oliveira de Souza, 20, acabou preso por participação no assassinato de Júnior Abraão da Silva, 22. O crime, motivado por ciúme, ocorreu na quarta-feira (12/6), mesmo dia em que populares encontraram o corpo dentro de um poço, próximo a Reserva Indígena de Dourados. 

Conforme a polícia, Júnior possuía um relacionamento com a esposa de Maycon e, no dia do assassinato, na companhia do adolescente, o rapaz conseguiu atrair a vítima até a casa dele. 

Lá, passaram a ingerir bebida alcoólica. Logo em seguida Júnior foi agredido a pauladas, arrastado e atingido com pedradas na cabeça, antes de ser jogado ainda vivo dentro de um poço desativado na região da ‘Pedreira’.

“O Junior foi agredido com pauladas, depois apedrejado e jogado vivo no poço. A vítima mantinha relacionamento com a atual namorada de Maycon, que, com ciúme, combinou com o menor de mata-lo. Eles convidaram o rapaz [Junior] para beber já com o intuito de matar”, contou o delegado do SIG (Setor de Investigações Gerais), Rodolfo Daltro ao Dourados News.

Lideranças indígenas capturaram o adolescente na manhã de ontem e o outro acusado nesta sexta (14/6). Os dois foram encaminhados por policiais civis ao 1º Distrito Policial. 

O menor já está na Unei (Unidade Educacional de Internação) Laranja Doce, enquanto o comparsa permanece em cela na delegacia e posteriormente deve ser encaminhado à PED (Penitenciária Estadual). 

Em entrevista ao Dourados News, Maycon confirmou o motivo da ação e que não tinha a intenção de matar a vítima. “Não era pra matar, machucar só”, disse. “Ele [Junior] ia para a fazenda com o menor, chegou lá em casa e bebemos”, afirmou, antes de alegar ter o agredido com pauladas.

O suspeito ainda contou que a vítima pediu para não ser jogada no poço. “Pediu pra não jogar, mas jogamos, ele estava todo machucado”, finalizou.

O CASO

Policiais civis foram acionados no início da tarde de quarta-feira após o corpo de Júnior ser encontrado dentro de um poço desativado na região da Pedreira, próximo a Aldeia Jaguapiru, já no município de Itaporã. 

Rastros de sangue levaram um líder indígena que passava pelo local chegar até a vítima. 

Júnior teria sido arrastado por aproximadamente 400 metros antes de ser jogado, ainda com vida, dentro do poço.