Polícia fecha laboratório do tráfico no Parque Alvorada e prende três universitários - Rio Brilhante News - Notícias de Rio Brilhante MS e Região

22º min
32º max

  • Coberturas31


Rio Brilhante - MS, sexta-feira, 13 de dezembro de 2019

Polícia fecha laboratório do tráfico no Parque Alvorada e prende três universitários

Publicado em: 26/08/2019 às 08h16

Dourados News

Policiais militares prenderam três estudantes universitários que atuavam num esquema de tráfico e produção de entorpecentes em Dourados. O fato ocorreu por volta das 10h de ontem (25/8), em uma casa localizada na rua Antônio Spoladore, Parque Alvorada, após denúncia de perturbação de sossego. 

De acordo com a ocorrência, ao chegar no local para abordagem a equipe sentiu forte cheiro de maconha e realizou vistoria no imóvel, lá encontraram além de maconha, uma espécie de ‘extrato’ de cogumelo, ecstasy, cocaína e o haxixe, fabricado ali mesmo. 

Na casa estavam Guilherme Penhalves Anzai, 30, residente em Pereira Barreto (SP) e acadêmico de Engenharia de Energia, Matheus Machado Sanches, morador em Maracaju e Anderson Vitor Zardim, de Dourados, ambos estudantes de Publicidade e Propaganda.

Durante a vistoria foram encontrados 4,9 quilos de maconha já dichavada e dividida em vários pacotes, além de mais de mil bitucas de cigarros da droga, 25 gramas de cocaína, ecstasy, quatro dichavadores, quatro rádios comunicadores, três maçaricos portáteis, máquinas de embalar a vácuo e 7 gramas de cogumelo. 

Ainda na abordagem dentro do imóvel, os policiais militares encontraram um laboratório onde é fabricado haxixe. Várias porções do entorpecente estavam ‘enformadas’.

O trio foi levado ao 1º Distrito Policial.

Guilherme era o locatário da residência e não comentou sobre o caso. Já os outros dois suspeitos disseram ser usuários e que sabiam das ações do colega, porém, negaram o tráfico.

Apesar disso, informações repassadas à PM é que todos atuam comercializando as drogas em festas realizadas no local, frequentado por usuários de entorpecentes.

No mesmo terreno, porém, em uma edícula aos fundos, mora um rapaz de 22 anos, de São Paulo (SP). Ele acabou levado à delegacia, foi ouvido e liberado.