Surto de H1N1 antecipa férias em escolas de Naviraí (MS), diz Educação - Rio Brilhante News - Notícias de Rio Brilhante MS e Região

22º min
32º max

  • Coberturas31


Rio Brilhante - MS, terça-feira, 25 de junho de 2019

Surto de H1N1 antecipa férias em escolas de Naviraí (MS), diz Educação

Recomendação é evitar aglomeração de pessoas, afirma secretaria. Falta de vacinas também causou mudanças por parte da prefeitura.

Publicado em: 18/05/2016 às 09h07

- g1ms

Medo do H1N1 faz população usar máscara e hospital proibir visitas (Foto: Reprodução/ TV Morena)

Medida emergencial em Naviraí, a 350 km de Campo Grande, também alterou a rotina dos estudantes da rede municipal e estadual de ensino que terão as férias do meio do ano antecipadas. Ao G1 a Secretaria Estadual de Educação informou que os alunos terão 15 dias de recesso "até passar o surto do vírus H1N1”. As aulas somente retornam no dia 2 de junho deste ano.

 

Ainda conforme a secretaria, a recomendação da saúde é não ter aglomeração de pessoas e por isso a decisão. Outro problema seria a falta de vacinas e por isso a determinação de mudanças por parte da prefeitura.

 

Nas escolas, um informativo estará explicando a decisão, bem como um bilhete será repassado aos alunos do ensino infantil a fundamental.

Até o momento, 40 casos estão em investigação na cidade, com 3 mortes confirmadas. O medo atingiu os moradores e muitos circulam com máscaras cirúrgicas,para evitar o contágio da doença. Nos hospitais, as visitas foram proibidas nos próximos 20 dias, além da proibição de troca de acompanhantes e entrada de objetos pessoais de pacientes, como travesseiros e cobertas.

 

Vendedores de lojas e atendentes também preferiram evitar o contágio direto com os clientes em locais fechados e com aglomeração de pessoas. Audiências também foram suspensas pelo juiz do município, que possui atualmente 51.535 habitantes, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

 

Casos


Dez casos de H1N1 foram confirmados em Naviraí. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, 2 das 3 mortes confirmadas são de mulheres que não faziam parte do grupo de risco, por isso, não tinham tomado a vacina. A outra morte foi de uma senhora de 56 anos, que tinha sido vacinada contra a gripe há menos de 10 dias.

 

A morte de um idoso de 87 anos também é investigada. Ele estava internado no hospital municipal, recebeu alta médica, mas voltou a ser internado e morreu, segundo a gerente de saúde Anelize Andrade Coelho.

 

A secretaria de saúde informou que recebeu cerca de 10 mil vacinas para imunizar o público alvo e que 60% das pessoas já foram vacinadas. Quatro postos de saúde continuam aplicando as doses enquanto a secretaria aguarda posicionamento do governo de Mato Grosso do Sul para saber se será enviado novo lote de vacinas.